As 10 criaturas mais estranhas do folclore japonês

Quando falamos de folclore ou mitologia japonêsa, os tipos de criaturas e suas histórias são bem diferentes do resto do mundo. Este artigo fala sobre as dez criaturas mais estranhas do folclore japonês. Confira.

10. Kappa

É um espírito anfíbio do folclore japonês. Quando plenamente desenvolvido, um kappa tem o tamanho de uma criança de dez anos. Sua pele é escamosa e verde-amarelada; tem cara de macaco, costas de tartaruga; as mãos e os pés têm membranas, para nadar mais facilmente. Talvez seu traço físico mais característico seja uma espécie de “recipiente” que fica no topo de sua cabeça, que deve sempre conter água, pois quando a água que ali se acumula seca, o Kappa morre.


Seu comportamento é relativo, pois os Kappas têm seus dois lados: o lado maléfico consiste em hábitos nada amigáveis, tais como afogar crianças que brincam nos rios, devastar e estragar plantações. Já pelo lado benéfico, podem tornar-se espíritos protetores de determinadas famílias e zelar pelo bem delas.


O melhor método para combater um kappa é cumprimentá-lo muitas vezes, curvando a cabeça, como fazem os japoneses. Como é uma cortesia fora do comum, o kappa vai sentir-se obrigado a curvar a cabeça, em resposta. Após vários cumprimentos com a cabeça, todo o líquido (que lhe dá poderes e força, fora da água) terá se derramado do topo de seu crânio e ele será forçado a voltar ao seu lar aquático. Outra estratégia para aplacar um kappa mal-intencionado é dar-lhe pepinos para comer, pois se trata de seu alimento predileto. Diz-se que riscar o nome dos familiares na casca de pepinos e depois jogá-los dentro da água protege essa pessoa contra os kappas, que, ao aceitarem os pepinos para comer, ficam moralmente obrigados a não fazer mal a essas pessoas.

9. Heikegani
Bem, você vai ficar surpreso em saber que o Heikegani está nesta lista porque eles realmente existem. Os caranguejos Heikegani são nativos do Japão. Originalmente o mito surgiu quando os japoneses perceberam a semelhança da face do caranguejo com o rosto do samurai Heike, que morreu na batalha de Dan-no-ura. Os corpos desses caranguejos se parecem com rostos humanos de fato. Diz-se que os japoneses comem caranguejos que não se assemelham a faces humanaspara que aqueles que se assemelham a rostos humanos possam se reproduzir e assegurar a existência de caranguejos Heikegani como a aparência de rosto humano.

8. Kasa-obake

O Kasa-obake é um tsukumogami, ou seja, um espírito que origina-se de objetos com 100 anos, dando-lhes vida. O Kasa-obake em particular são espíritos de guarda-chuvas que atingem os 100 anos. São geralmente representados com um olho, uma língua longa saindo de sua boca e apenas uma perna que calça uma geta, espécie de calçado japonês. 

7.  Nuppeppo

Um Nuppeppo é um espírito que aparece nos templos em ruinas ou em cemitério à meia-noite. São pedações de carne humana podre ambulante. Os nuppeppos são bastante curiosos e possuem poucas explicações. 

 6. Makura-Gaeshi
O Makura-Gaeshi é um espírito famoso por mover travesseiros sob sua cabeça. Histórias sugerem que eles movimentam os travesseiros ao pé da cama enquanto você está dormindo. Outra história diz que eles jogam partículas de areia em seus olhos (como o Sandman). A única diferença é que eles roubam sua alma depois disso.
5. Mokumokuren
No Japão antigo, paredes deslizantes feitas de papel eram bastante comuns na grande maioria dos lares japoneses. O papel, no entanto, pode conter buracos ou ter partes rasgadas. Se o papel estiver rasgado ou terburacos no meio, as chances do Mokumokuren habitar o papel de parede é grande. Se o proprietário do muro é muito descuidado, o muro poderá conter buracos e quando mais buracos conter o papel, mas chance existe de pessoas verem os olhos do Mokumokuren nos buracos da parede. E a tradição diz que estes espíritos observam você. A única maneira de se livrar deles é ser bastante cuidadoso e não deixar buracos na parede de papel.
Até agora eu só tinha ouvido falar que as paredes tinham ouvidos“.
4. Konak Jiji
O Konak Jiji é um monstro que pode mudar seu tamanho e seu peso. Ele assume a forma de um pequeno bebê com o rosto de um velho,  se esconde nas montanhas ou deita à beira de estradas à espera de viajantes. Quando um viajante passa, o Konak Jiji começa a chorar e por instinto, os viajantes pegam o bebê no colo para confortá-lo. seu peso e tamanho vão aumentando gradativamente. Finalmente, seu enorme peso esmaga a vítima. Konak jiji significa “velho que chora como um bebê”.
3. Akaname
O Akaname é uma criatura repugnante. Akaname pode ser traduzido como “Lambedor de sujeira”. Embora, é dito que o Akaname pode lamber seu banheiro sujo e deixá-lo limpo com a ajuda de sualíngua, é dito também que ele temsaliva venenosa. Ter um Akaname em casa é desagradável, por isso a criatura serve como aviso para que sempre se mantenha o banheiro limpo.
2. Ittan Momen
O Ittan Momen parece bastante inofensivo, pois antes de tudo é apenas um pedaço de pano, embora tenha cerca de 30 metros de comprimento. Ele gosta de voar à noite. Não é exatamente assustador até que seja incomodado ou fique com medo. Ele tem a capacidade de envolver-se em torno de sua cabeça e te sufocar até a morte ou apenas quebrar seu crânio. Você pode ganhar a confiança dele e usá-lo em torno de seu pescoço. Mas ninguém sabe exatamente como conseguir isso.
 1. Shirime
Você deve saber que eu não estou muito confortável em escrever sobre essa criatura e eu tenho certeza que você pode entender o porquê. Shirime foi o nome dado a uma aparição de um homem com um olho no lugar do seu ânus.
A história do Shirime simplesmente afirma que um samurai solitário estava andando por uma estrada à noite, quando alguém o chamou. Ele se virou para ver um homem misterioso se despir e apontando para o seu traseiro. De repente, um grande olho brilhante começou a se abrir a partir da área indicada. O samurai ficou tão horrorizado que ele saiu correndo gritando, e o Shirime nunca mais foi visto.

Comentários

Deixe uma resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *