Eles só queriam ficar famosos no Youtube, mas acabaram deixando um homem morto!

Até a semana passada, Monalisa Perez, de 19 anos, e seu namorado, Pedro Ruiz III, de 22 anos, compartilharam uma ótima vida juntos em Minnesota, nos Estados Unidos, enquanto criavam seu filho de três anos de idade com outro bebê já a caminho.

Mas em 26 de junho, na tentativa de conquistar mais seguidores nas mídias sociais e assinantes no YouTube, o casal tentou um feito incrivelmente perigoso que acabou tirando a vida de Pedro Ruiz.

De acordo com documentos judiciais, a polícia recebeu uma chamada de Monalisa às 6:30 daquela noite dizendo que ela e seu namorado estavam fazendo um video no YouTube e ela acidentalmente atirou nele.

Jovem atira em namorado para ficar famosa no Youtube. Eles só queriam ficar famosos no Youtube, mas acabaram deixando um homem morto:

Queria ficar famosa e acabou matando o namorado!

O casal antes do tiro

Monalisa e Pedro tinham um pequeno canal do YouTube centrado em sua vida familiar. Eles queriam se tornar famosos na plataforma, então Pedro veio com uma ideia que ele achou que poderia alavancar o canal.

Perez disse mais tarde à polícia que Pedro Ruiz estava tentando, por um tempo, convencê-la a atirar nele enquanto ele mantinha um livro como um escudo.

Ele finalmente conseguiu convencê-la quando assegurou que ele tinha tentado a façanha antes com outro livro e que a bala não havia atravessado o caminho por completo.

No dia em que gravaram a façanha, Monalisa Perez twittou sobre o fato e reconheceu o sério risco. Ainda assim, ambos decidiram fazê-lo.

“Eu e Pedro vamos, provavelmente, gravar um dos vídeos mais perigosos de todos. Ideia dele, não minha.”

Com sua filha supostamente no quarto, a grávida Monalisa Perez apontou uma pistola de calibre .50 em direção ao peito de Pedro, enquanto ele segurava o livro. As duas câmeras que montaram, gravaram Pedro Ruiz sendo baleado no peito. Ele morreu pouco depois.

Monalisa Perez foi presa e acusada de homicídio. Se for condenada, ela poderá passar 10 anos na prisão e ser forçada a pagar uma multa de vinte mil dólares.